sexta-feira, junho 02, 2006

458) Uma crítica anônima (e irada...)

Encontrei, na sexta-feira 2 de junho, na caixa de correspondência do meu primeiro blog (http://paulomre.blogspot.com/), a seguinte mensagem, anônima:

" Anonymous said...
Seria melhor se parasse de escrever. Você é péssimo...
Sexta-feira, Junho 02, 2006 11:09:34 PM"

à qual respondi da seguinte maneira:

"Caro anônimo,
Apreciaria que você pudesse ser um pouco mais explícito em sua crítica. Não precisa se identificar. Imagino que não queira revelar sua identidade e imagino que críticos eminentemente críticos, como é o seu caso, desejem efetivamente manter-se anônimos. Este é um direito assegurado pelas regras não escritas da Internet.
Mas eu gostaria de saber em que, exatamente, a minha escrita lhe causa tanto dissabor, em que eu seria péssimo: no estilo, na substância, em ambos, o que precisamente lhe incomoda em minha forma de escrever ou nos temas que eu escolho abordar livremente neste espaço aberto?
Um blog é um exercício público de manifestação de pensamento, de preferências, de opções de leitura, de questões que seu "proprietário" julga relevantes para debate público.
Você, meu caro anônimo, não está minimamente obrigado a ler o que eu escrevo, mas se ler, também tem a opção de me criticar, acerbamente, violentamente, como desejar. Não precisa se identificar, nem se desculpar. Pode criticar à vontade.
Mas, por favor, seja um pouco mais explícito, da próxima vez.
Aliás, um pedido: colabore comigo, desejo saber em que eu estaria sendo péssimo...

P.S.: Sim, da próxima vez, visite meu blog atual, pois aquele no qual você deixou a sua mensagem anônima já está desativado desde meados de janeiro e surpreende-me que tenha conseguido deixar um comentário nele, pois eu nunca mais consegui postar qualquer texto. Em todo caso, grato pela tentativa: vou ver se ele já desempacou..."

2 Comments:

Blogger Ricardo Rayol said...

Retardado tem em todo o canto mesmo

sábado, junho 03, 2006 8:20:00 PM  
Blogger Vivian Cristina Müller said...

Ricardo, vc está redondamente certo! E este "anônimo" nada mais deve ser do que uma pessoa frustrada com sua insignificância e utiliza-se deste tipo de coisa para tentar - sem êxito, evidentemente - transferir sua inferioridade moral e intelectual para uma pessoa como o Paulo.

Duas coisas podem ser concluídas acerca desse fato: a primeira, é que só causa sentimentos dessa natureza quem incomoda, e muito! Segundamente, a pobreza de espírito das pessoas em ofender gratuita e irrestritamente, equiparou-se à mediocridade da sociedade massificada que, na tentativa de posicionar-se contra algumas idéias (o que é absolutamente saudável e necessário para o desenvolvimento intelectual) o faz desprovido de qualquer articulação minimamente lógica, dialogável.

Nem precisaria ser alguma colocação inteligente, bastaria ter, no mínimo, educação em colocar sua aversão ao que o outro professa (até que se prove o contrário, somos todos livres para pensar e expor nossas idéias, bastando para tanto, a mínima etiqueta social, moral e ética) e argumentar seus pontos que discordância.

Tão simples, tão humano, mas que tem se tornado cada dia mais animalesco, grotesco, anormal.

Paulo, vc sabe, sou sua leitora incondicional, muito embora discorde, vez ou outra, de algumas de suas posições. Entretanto, provida de personalidade, ao contrário do nosso “amigo”, absolutamente desprovido dessa característica qualificadora, conhecendo sua trajetória, sua contribuição, alguns dos seus zilhões de textos e idéias, sua generosidade acadêmica lhe peço justamente o contrário: NUNCA PARE DE ESCREVER, já lhe disse inúmeras vezes, vc é parte da vida acadêmica de muita gente (inclusive da minha). Nenhuma crítica, anônima e sem um único fundamento, deve demovê-lo, o qual já vem mantendo há anos.

Mais sucesso, mais textos, mais idéias, mais propostas de nos fazer pensar sobre o mundo e sobre o Brasil, SEMPRE, são meus votos eternos.

Vivian Cristina Müller.

domingo, junho 04, 2006 7:58:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home